O DIA DA INDEPENDÊNCIA

11-11-2017


Vim da terra da Palanca Negra Gigante e das famosas quedas, em outros tempos do Duque de Bragança há mais de quarenta anos de Kalandula.


Com a força da Palanca, muitos foram os Pais ( os meus também ) viram além das quedas e longe de "casa" um futuro melhor para os seus filhos, com a esperança que da tinta da caneta de Manuel Rui Monteiro e da composição de Rui Mingas trouxesse a um País com apenas 2% de população idosa uma força jovem com sangue novo a fazer valer a letra.
"Honramos o passado e a nossa História 
Construindo no trabalho um homem novo".

Hoje 11 de Novembro comemora-se a Independência de Angola, apagando velas pedem-se desejos, o desejo de alguém que acredita que o lugar de um filho é junto aos Pais, vendo em muitos Pais que o melhor local para criar os seus filhos seja seguro e com perspectivas de futuro: - Educação, Saúde e Segurança".
Se nos libertamos de alguém que dizia "Tudo para o bem da Nação ", sopro hoje as velas com a esperança que 2017 possa ser um marco de mudança.


Por Maria Patricia Rafaell