ETERNAMENTE KARL

20-02-2019

" I am a walking Label".

 Yes, you where! Ele foi a marca em si mesmo, capaz de dirigir mais de uma marca ao mesmo tempo. Fê-lo com mestria, fê-lo com a habilidade e destreza inigualável; partiu aquele que para o mundo da moda foi a lenda e que para  mim marcou a história da moda. 

Karl Lagerfeld rompeu padrões, quebrou paradigmas e fez da moda a revolução em si, fez da moda arte, sem papas na língua e com com altivez fez da Chloé, Balmain, Fendi autênticas obras de arte. Foi a Chanel a sua casa, foi a Chanel que representou nele a harmonia entre transformação e continuidade, mais que um estilista era um director artístico, criando desfiles espetaculares que arrancavam aplausos até dos mais resistentes.

O que mais admirei em Lagerfeld?

A forma como reinventou e as tão famosas malas Chanel 2.55, como alguém conseguiu mudar e ser aceite num meio tão extremista como as principais consumidoras da marca na altura.
Defendeu a liberalização da moda,  moda a preços mais acessíveis; em 2004 a colaboração com a marca Sueca H&M vendeu em horas. Mudar sem perder a identidade, renovar sem estragar isto fez toda a diferença, num trabalho árduo e de alguém que sempre conviveu de frente com críticas negativas e as superou em deitar a baixo a sua criatividade e audácia. Marcou-me quando disse " não usem a palavra barato, qualquer um pode ficar bem com peças mais acessíveis ". Esta frase fez-me acreditar que eu poderia usar a moda com os meus tecidos Africanos e as roupas vintage que ia adquirindo.
Karl Lagerfeld deixou um legado e a alegria em mim de poder dizer que vivi na sua era.